Iva Teixeira Luna: “Sempre foi meu sonho ter uma cisterna para plantar” (2019)

Iva Teixeira Luna é uma mulher de 37 anos, agricultora e mãe de quatro filhos:  Vitória, Jean, João Henrique e Pedro Neto. Casada com Ismael José Alves dos Santos, desde 2006, mora na Comunidade Sítio Mandu, a 30 quilômetros da sede de Remanso, Semiárido da Bahia.

O primeiro filho do casal chegou nesse mesmo ano, quando ainda moravam numa casa de taipa. Iva diz que sempre plantou para ajudar na alimentação, mas, sem água, só dava para cultivar feijão, milho, mandioca quando chovia. Não dava para plantar outras coisas como frutas e hortaliças que demandam mais água, já que tinha de buscar fora da propriedade.

O segundo filho nasce em 2010, quando começam a criação de galinhas e compram a primeira carroça. Dois anos depois, com o nascimento do terceiro filho, vem a construção da casa de alvenaria, onde moram atualmente. A cisterna de consumo humano só foi construída no ano de 2014, mas, ainda não dava para usar essa água para as plantas porque a prioridade era dar de beber à família. 

Em 2015, nasce a filha caçula. Durante todas as quatro gestações, Iva teve acesso ao salário maternidade, mas somente depois de 2015 começou a receber o beneficio do Bolsa Família, que ajuda muito na compra do material escolar e  das roupas para as crianças. A renda principal vem das diárias que Ismael faz nas roças de outras pessoas. 

Com o apoio do Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2), a família pode, pela primeira vez, ter acesso a água para produção. “Sempre foi meu sonho ter uma cisterna para plantar. Via das outras pessoas e rezava pensando em ter uma”, diz Iva. Seu sonho foi realizado em 2018, com a construção da cisterna calçadão. A cisterna veio acompanhada de formações e assessoria técnica do SASOP na produção de alimentos agroecológicos e criação animal. 

A cisterna também trouxe possibilidade de investimentos na propriedade. Com o recurso do fomento, Iva e Ismael organizaram toda a área. Compraram arame para cercar a propriedade e proteger a cisterna dos animais, telas para construir uma horta e materiais para o galinheiro, ovelhas para iniciar a criação de ovinos e ração para os animais. Tudo isso somente com a primeira parcela. A segunda parcela  foi destinada para a compra de uma maquina forrageira, que vai gerar autonomia na produção de ração para as galinhas e ovelhas. 

Mesmo sem a chegada das chuvas para encher a nova cisterna, Iva iniciou a plantação do jeito que pode. Na horta, plantou coentro, cebolinha, pimentão. Em outro espaço do quintal, couve, babosa, mamão, sem esquecer das plantas forrageiras para alimentação. 

Iva conta que as atividades de formação também foram muito importantes. “Aprendi a fazer a ração e cuidar das plantas e dos bichos com remédios caseiros”. A agricultora nunca foi a escola, mas sua sabedoria de vida no campo fez com que fizesse uma ótima gestão dos investimentos na propriedade. A expectativa agora é a chuva chegar para encher a cisterna e poder iniciar a produção que deseja de fato. 

%d blogueiros gostam disto: